Pular para o conteúdo principal

LOGÍSTICA: PAPEL FUNDAMENTAL NA ORGANIZAÇÃO



Blog Operações e Serviços



Um modelo de negócios se define como a união da política de uma organização juntamente com o tipo de operação a que ela está inserida, aos métodos, tecnologias e informações empregadas para a geração do valor, sendo este percebido pelos seus clientes.

O modelo de negócio tem uma relação com a característica singular de cada empresa, não com o mercado em que ela atua.

A logística é uma área fundamental em qualquer empresa, sendo um elemento estratégico, que adquiriu forma relacionada com uma nova visão e entendimento sobre a cadeia de valores, bem como a importância das parcerias, uma vez que muitas empresas não competem mais entre si, esta competição passou a ser entre as cadeias de manufatura.

Em meio as atividades básicas da logística (armazenagem, estoques e distribuição física) surgiram as atividades de processamento de pedidos e gestão da tecnologia de informações, desta forma as atividades deixaram de ser vistas como independente.

Presente nos principais elementos que definem o tipo de negócio da empresa, a Logística mostra o quanto é relevante estrategicamente independente do tipo de negócio, veja:

a) No espaço negocial temos a definição da área geográfica e os segmentos nos quais pretende-se atuar.

b) Em bens e serviços a logística define o que será ofertado em seu território de atuação.

c) Os recursos definem a fonte de suprimentos e tecnologias deverão ser empregadas.

A Logística estende bem além da simples operação de transporte e mostra que não há negócios sem um bom e amplo planejamento logístico, independente do tamanho da sua organização.


Muito obrigado e até a próxima.




Sugestões para se aprofundar no tema:


LOGÍSTICA E GERENCIAMENTO DA CADEIA DE ABASTECIMENTO

Todos sabem que melhorias na qualidade e no tempo de entrega de qualquer produto ou componente, além de reduções nos custos, na carga tributária ou no giro de uma determinada mercadoria, têm por objetivo a competitividade, visando sempre a satisfação do cliente.

Foi pensando nisso que o autor Paulo Bertaglia trouxe exemplos de diversas empresas nacionais e internacionais - Volkswagen, Dell, Fedex, Nivea, Amazon, Harley Davidson, Alibaba e outras ? que utilizam com sucesso a logística para superar seus objetivos.

Esta edição foi revista e atualizada, trazendo novos casos de negócios, além das inovações na área de logística, tanto em termos de processos de negócios como tecnológicos, permitindo que profissionais e acadêmicos tenham acesso a uma literatura atual, detalhada, didática e aplicável aos vários modelos de organização.


Blog Operações e Serviços - operacoeseservicos.com
Clique na imagem para saber mais.



INTRODUÇÃO À LOGÍSTICA - FUNDAMENTOS, PRÁTICAS E INTEGRAÇÃO


Elaborada para atender aos cursos técnicos e tecnológicos e aos cursos de nível superior de curta duração e de Logística Empresarial, a obra segue rigorosamente as determinações curriculares do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos e do Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia em Gestão e Negócios. Oferece uma abordagem panorâmica dos principais fundamentos da logística, amparada pelos conceitos mais modernos dessa área do conhecimento. E conta ainda com questões, exercícios e indicações de leituras e pesquisas. Livro-texto para a disciplina Introdução à Logística do Curso Técnico em Logística e de Cursos Tecnológicos em Gestão e Negócios. Indicado também para cursos de nível superior de curta duração e de Logística Empresarial.


Blog Operações e Serviços - operacoeseservicos.com
Clique na imagem para saber mais.

LOGÍSTICA E GERENCIAMENTO DA CADEIA DE DISTRIBUIÇÃO. ESTRATÉGIA, OPERAÇÃO E AVALIAÇÃO


Nesta época globalizada, muitos acontecimentos têm ocorrido desde a elaboração da última versão desta obra, como, por exemplo, o avanço da tecnologia, a mudança nos fatores econômicos e estratégicos, novas formas de operar o SCM e o surgimento dos sistemas logísticos, embora os conceitos e os elementos básicos permaneçam válidos em grande medida. Para atender às necessidades do leitor, ao livro passou por atualizações completas, como: alterações nos capítulos que contêm dados e comentários fortemente marcados por mudanças significativas nos últimos anos. Por exemplo, a forte focalização na satisfação do consumidor (Capítulos 3 e 7), a evolução tecnológica do SCM e seus impactos na Logística (Capítulo 3), a ampliação do alcance da Logística Reversa (Capítulo 4), e as novas formas de abordar problemas logísticos sujeitos a condicionantes externos, como a distribuição de produtos alimentícios congelados (Capítulo 9), entre outros. acréscimo de capítulo sobre a evolução do Supply Chain Management (SCM), no qual ressaltamos as características estratégicas desse processo e seus impactos na Logística. acrescentamos de um capítulo sobre Logística Reversa, que se tornou muito importante nos últimos anos tendo em vista as medidas coercitivas introduzidas na Europa, Canadá e países asiáticos. ampliação de determinados tópicos - introduzimos, no Capítulo 3, o case da empresa Crocs, que atua, no mercado calçadista global com uma visão avançada de SCM. Outro case, apresentado no Capítulo 4, é o da indústria Whirlpool, voltado à análise da logística reversa de eletrodomésticos no Canadá. Com referência à distribuição de produtos alimentícios refrigerados, que exigem controle térmico minucioso da mercadoria, acrescentamos um case específico no Capítulo 9. ampliação do Capítulo 10, sobre Operadores Logísticos, incluindo os chamados third-party reverse logistics providers (3PRLP), que são contratados por indústrias de grande porte para cuidarem do tratamento de produtos no fim de sua vida útil, de forma a reciclá-los, depositá-los em valas apropriadas, ou incinerá-los, obedecendo às novas leis de proteção ambiental vigentes em grande parte dos países desenvolvidos.




Blog Operações e Serviços - operacoeseservicos.com
Clique na imagem para saber mais.

GESTÃO LOGÍSTICA DA CADEIA DE SUPRIMENTOS


Nesta época globalizada, muitos acontecimentos têm ocorrido desde a elaboração da última versão desta obra, como, por exemplo, o avanço da tecnologia, a mudança nos fatores econômicos e estratégicos, novas formas de operar o SCM e o surgimento dos sistemas logísticos, embora os conceitos e os elementos básicos permaneçam válidos em grande medida. Para atender às necessidades do leitor, ao livro passou por atualizações completas, como: alterações nos capítulos que contêm dados e comentários fortemente marcados por mudanças significativas nos últimos anos. Por exemplo, a forte focalização na satisfação do consumidor (Capítulos 3 e 7), a evolução tecnológica do SCM e seus impactos na Logística (Capítulo 3), a ampliação do alcance da Logística Reversa (Capítulo 4), e as novas formas de abordar problemas logísticos sujeitos a condicionantes externos, como a distribuição de produtos alimentícios congelados (Capítulo 9), entre outros. acréscimo de capítulo sobre a evolução do Supply Chain Management (SCM), no qual ressaltamos as características estratégicas desse processo e seus impactos na Logística. acrescentamos de um capítulo sobre Logística Reversa, que se tornou muito importante nos últimos anos tendo em vista as medidas coercitivas introduzidas na Europa, Canadá e países asiáticos. ampliação de determinados tópicos - introduzimos, no Capítulo 3, o case da empresa Crocs, que atua, no mercado calçadista global com uma visão avançada de SCM. Outro case, apresentado no Capítulo 4, é o da indústria Whirlpool, voltado à análise da logística reversa de eletrodomésticos no Canadá. Com referência à distribuição de produtos alimentícios refrigerados, que exigem controle térmico minucioso da mercadoria, acrescentamos um case específico no Capítulo 9. ampliação do Capítulo 10, sobre Operadores Logísticos, incluindo os chamados third-party reverse logistics providers (3PRLP), que são contratados por indústrias de grande porte para cuidarem do tratamento de produtos no fim de sua vida útil, de forma a reciclá-los, depositá-los em valas apropriadas, ou incinerá-los, obedecendo às novas leis de proteção ambiental vigentes em grande parte dos países desenvolvidos.


Blog Operações e Serviços - operacoeseservicos.com
Clique na imagem para saber mais.



GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS / LOGÍSTICA EMPRESARIAL


Esta importante obra apresenta com clareza os aspectos operacionais, táticos e estratégicos da cadeia de suprimentos/logística empresarial.


Blog Operações e Serviços - operacoeseservicos.com
Clique na imagem para saber mais.





Comentários

Postagens Mais Visitadas

GRÁFICO BALANCEAMENTO DE OPERADORES

O Balanceamento de operadores é feito através das análises dos tempos que cada estágio leva para fabricar um conjunto ou uma parte do produto final.

A flexibilidade do trabalho é a chave para o gerenciamento eficaz de recursos e é por este motivo que um balanceamento das operações traz a garantia de que cada estação pode entregar e ser atendida dentro do Takt Time, utilizando a capacidade de produção disponível.

Estou disponibilizando uma Planilha GBO, para auxiliar no balanceamento e identificação das:

AV – Atividades que agregam valor;

NAV – Atividades que não agregam valor;

NAVN – Atividades que não agregam valor, mas não necessárias.

E então junto com os gestores de linha trabalhar na eliminação de desperdícios e melhorar o fluxo da produção. Sempre digo “juntos” por considerar a experiência de quem está no Gemba a mais tempo e todos os dias muito importante.

Mas antes de qualquer coisa devemos além de conversar com o gestor, ir até os colaboradores e explicar os motivos da tomad…

O CONCEITO DE EFICIÊNCIA, EFICÁCIA E EFETIVIDADE

É dever de um líder conduzir as pessoas da sua equipe a fazerem as coisas certas (eficácia), da melhor maneira possível (eficiência) buscando os impactos sociais e comerciais favoráveis a organização (efetividade).

Mas o que é eficiência, eficácia e efetividade?

FAZER A COISA CERTA – EFICÁCIA
Normalmente está ligada ao nível gerencial, busca atingir objetivos, alcançar os resultados planejados, atingir a meta.

Não está preocupada em como fazer, não mede recursos e esforços para fazer o que é preciso ser feito.


Exemplo 1:
Uma grande obra está sendo construída para um evento que acontecerá daqui a 3 anos, a empresa que ganhar a licitação deverá entrega-la pronta em 2 anos. O orçamento inicial é de 100 milhões de reais.

Ao final de dois anos a empreiteira nomeada entregou a obra totalmente concluída, mas em função de diversos problemas o orçamento final ficou em 250 milhões.

O projeto de construção da obra foi eficaz, pois pois foi finalizado dentro do prazo programado.

FAZER A COISA…

MIERUKA - VER PARA CRER

Como andam as informações em sua empresa? Todo mundo entende ou só quem desenvolveu compreende?


O Mieruka é um termo japonês traduzido como Controle Visual e seguir suas diretrizes pode contribuir muito nos fluxos de informação e processos da sua empresa e devemos seguir três diretrizes para aplicar a ferramenta:


1). Desenvolver um controle visual simples;


2). Todos devem conseguir enxergar e identificar;


3). Devido a possíveis mudanças devem ser fáceis de atualizar.



Explico cada uma delas e os quatro tipos de Mieruka existentes neste artigo: https://lnkd.in/dZciqDB

O Artigo também estará disponível em PDF no link da publicação original no LinkedIn